Onnee Blog

Poradmin

Apple lança iOS 15.1 e macOS Monterey; saiba como atualizar

A Apple lançou nesta segunda-feira (25) uma série de atualizações para os seus sistemas operacionais. Já estão disponíveis para download o iOS 15.1 e iPadOS 15.1, watchOS 8.1 e o macOS Monterey.

No iOS 15.1, a atualização traz alguns benefícios para usuários da nova linha iPhone 13. Entre as novidades há o ProRes, modo de câmera que permite gravar vídeos em alta resolução. A atualização também traz um novo botão para desabilitar a troca automática para o modo macro no iPhone 13 Pro e 13 Pro Max.

Com o iOS 15.1, a Apple também habilita o SharePlay, que expande as características do FaceTime. Com ele, é possível compartilhar conteúdo com os amigos em uma chamada, sejam de apps nativos (FaceTime, Apple TV, Apple Music) ou outros compatíveis. A novidade também permite compartilhar a própria tela com os participantes de uma chamada.

iOS 15

Apple disponibiliza download do iOS 15.1 para iPhones compatíveis.

Para atualizar o iPhone ou o iPad, basta que o usuário navegue até o menu “Ajustes”; na aba “Geral”, basta tocar em “Atualização de Software” e aguardar que o sistema realize a busca pela atualização. No Apple Watch, o usuário pode iniciar a atualização pelo próprio relógio ou pelo aplicativo Watch, no iPhone.

O iOS 15 é compatível com modelos a partir do iPhone SE (1ª geração) e também com o iPod touch (7ª geração). Já a lista de tablets compatíveis com iPadOS 15 começa com o iPad Air (2ª geração). O watchOS 8, por sua vez, requer no mínimo o Apple Watch Series 3 para ser instalado.

Novo macOS Monterey

A atualização para os Macs também traz novidades do FaceTime que fazem parte do SharePlay. Assim como no iPhone, é possível compartilhar a sua tela, assistir ou ouvir músicas junto de amigos e mais. A Apple também implementou o uso do Modo Retrato em videochamadas com o chip M1.

O navegador Safari também passou por uma grande reformulação no macOS Monterey, assim como no iOS 15. Além disso, a Apple também trouxe o recurso de Foco para os computadores. Com ele, o usuário pode personalizar os ajustes de notificação para determinados momentos do dia, como no meio do trabalho ou apenas para assistir algo sem ser interrompido.

MacOS Monterey

O novo macOS Monterey promete ferramentas poderosas de produtividade.

Outra novidade que pode facilitar a vida de quem possui múltiplos produtos da Apple é o Controle Universal. Com ele, o usuário consegue utilizar o mesmo teclado e mouse, por exemplo, em um Mac e iPad de forma simultânea. Também é possível copiar e colar itens entre os dois aparelhos, e a Apple cita que basta colocar os aparelhos lado a lado para que a função seja habilitada.

O macOS Monterey é compatível com modelos a partir do Mac Pro (2013), Mac mini (2014), MacBook Pro, Air e iMac (2015), iMac Pro (2017) e com o MacBook (2016).

Fonte:TecMundo

Poradmin

Apple lança iOS 15.0.2 com correção para bug que apagava fotos

Lançado em setembro para o público em geral, o iOS 15 ganhou uma nova atualização na segunda-feira (11), trazendo correções para vários bugs relatados pelos usuários. É o segundo update do sistema disponibilizado pela Apple, lembrando que o primeiro consertou o erro que impedia o desbloqueio do iPhone com o Apple Watch, além de outras coisas.

O iOS 15.0.2 corrige, principalmente, as falhas relatadas nas últimas duas semanas, como a que excluía fotos armazenadas na biblioteca do aplicativo Mensagens ao remover o tópico ou a conversa associada a elas. A desconexão que ocorria ao executar apps de áudio no CarPlay também não deve existir mais.

De acordo com a Apple, a compilação 19A404 ainda trouxe melhorias para a carteira MagSafe, que volta a ser adicionada ao app Buscar e a emitir alerta em caso de desconexão. Já as AirTags tiveram a compatibilidade melhorada, possibilitando a exibição de itens no painel do serviço Buscar.

Outro bug corrigido é a falha na restauração ou atualização do dispositivo ao usar os programas Finder ou iTunes, em alguns modelos de iPhone 13. Novas brechas de segurança que poderiam trazer preocupação para os usuários também foram fechadas após a atualização.

iPadOS e watchOS

Novos pacotes de correções também foram disponibilizados para o iPad e o Apple Watch. No caso do tablet, o iPadOS 15.0.2 inclui as mesmas melhorias relacionadas à exclusão de fotos, às AirTags e aos programas iTunes e Finder citadas acima.

Por sua vez, o watchOS 8.0.1 corrigiu o bug que deixava indisponíveis os ajustes de acessibilidade para alguns usuários do Watch Series 3. Na mesma versão do relógio inteligente da Maçã, a exibição do progresso da atualização do sistema agora está mais precisa.

As atualizações podem ser acessadas na opção “Ajustes” do iPhone e do iPad, pressionando a seguir “Atualização de software”. No smartwatch, vá em “Ajustes”, depois “Geral” e “Atualização de software”.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Apple Store sai do ar antes da chegada do iPhone 13

Quem tentou acessar a Apple Store na manhã desta terça-feira (14) no Brasil foi recebido com uma página de “a gente já volta”. A marca da maçã derrubou sua loja online para realizar “atualizações”, segundo uma mensagem disponível no link para o e-commerce.

A queda em questão já era prevista: a empresa realizará um evento hoje para lançar o iPhone 13 e mais produtos. Segundo vazamentos, a próxima geração do Apple Watch e até mesmo uma nova versão do AirPods podem aparecer durante a apresentação.

A Apple costuma tirar do ar a sua loja horas antes de seu grande evento anual para adicionar as páginas dos novos produtos e também atualizar a disponibilidade e preço de linhas anteriores. No ano passado, com a chegada do iPhone 12, a companhia aumentou os valores de seus celulares no Brasil.

Como assistir ao evento da Apple

Para quem está de olho no iPhone 13 e outros lançamentos da Apple, o evento da companhia acontece nesta terça-feira a partir das 14h. A transmissão ocorrerá por meio do YouTube da marca e também em outros canais – veja como acompanhar a live.

TecMundo vai ficar de olho em todas as novidades reveladas pela Apple. Logo, fique ligado no nosso site para ficar por dentro de todos os lançamentos da marca.

Fonte: TecMundo

Poradmin

Cibersegurança: 6 formas de proteger seus dados

A pandemia trouxe o distanciamento social e, com isso, novas possibilidades para o trabalho, justamente pela necessidade do remoto. Afinal, o recomendado é não estar mais no ambiente profissional e, para alguns, é possível dar continuidade em projetos pelo computador pessoal, com o auxílio da internet.

Assim como as paredes dos lares se transformaram em escritórios, essa mudança também trouxe um ponto de virada para o próprio computador, que antes, normalmente, era utilizado apenas para trabalhos pessoais ou lazer.

Considerando que os limites entre profissional e pessoal, antes bem definidos, no pós-pandemia — que está chegando, mesmo que a passos lentos — devem estar mais próximos, pode ser um momento de pensar e se preocupar em como garantir sua segurança, e a dos seus dados.

Afinal, com a possibilidade de trabalhar em diversos lugares, usando a conexão de diferentes redes junto a outros computadores, como se proteger de possíveis ataques digitais?

Pensando nisso, listamos algumas dicas para te ajudar a proteger seus dados:

1. Use senhas fortes

Este assunto pode parecer batido, mas muitas pessoas ainda utilizam senhas muito simples, o que é um atrativo para pessoas mal-intencionadas. Por isso, não use a mesma senha para todos os dispositivos e nem sequências simples, como ABCD ou 12345, muito menos sua data de aniversário.

Para evitar ataques cibernéticos, prefira sempre senhas fortes, mais longas e com uma combinação de caracteres especiais, letras maiúsculas e minúsculas, e números. Se possível, altere suas senhas periodicamente e habilite a verificação em duas etapas em todas as contas que dão esse suporte — como o e-mail e WhatsApp, por exemplo.

2. Utilize um gerenciador de senhas

Para ajudar no gerenciamento das suas senhas, alguns softwares podem ser utilizados junto a sensores de digitais. Para isso, os laptops precisam ter um leitor de digitais e algumas marcas, como a HP, oferecem essa tecnologia em seus dispositivos. 

Existem diversos gerenciadores de senhas, como 1Password, LastPass, Bitwarden, Dashlane, Keeper, entre outros. Eles ajudam a guardar sua senha de forma segura — inclusive as de cartão de crédito —, gerar senhas fortes automaticamente e alterá-las de forma simples.

3. Cuide ao abrir links e arquivos

Tenha sempre cautela na hora de abrir arquivos e links recebidos de terceiros. Antes de abri-los, verifique se são realmente seguros, mas se não tiver certeza, não abra. 

Também é importante se lembrar de não instalar softwares/aplicativos que não estejam disponíveis nas lojas oficiais.

Mais de 350.000 novas variantes de malware são criadas todos os dias, e se você quiser acompanhar, é melhor combater o fogo com fogo. Antivírus tradicionais nem sempre podem reconhecer novos ataques, por isso é bom contar com novas tecnologias e sistemas para aumentar sua segurança:

  • Sure Sense: defensa inteligente contra ameaças. Esse sistema usa algoritmos de aprendizagem profunda proprietários e tecnologia de rede neural avançada para reconhecer instintivamente qualquer malware e proteger contra ataques nunca vistos.
  • Sure View: proteja instantaneamente suas informações contra hackers visuais com a tela de privacidade integrada do HP Sure View. Com o toque de um botão, sua tela aparece ilegível para aqueles ao seu redor.
  • Sure click: proteja seu PC de sites e anexos. O HP Sure Click é uma medida de segurança imposta por hardware que isola o malware em uma máquina virtual para impedi-lo de infectar o sistema.

4. Tenha um equipamento com auto recuperação da BIOS

Ter um notebook com capacidade para se recuperar do zero, reinstalando o sistema operacional em caso de perda total dos dados, é um caminho importante para quem preza pela segurança.

Afinal, ataques de firmware podem destruir completamente seu computador. A HP oferece essa tecnologia em suas séries de computadores, ajudando a recuperar o sistema de entrada e saída, ou somente BIOS, corrompido a partir do bloqueio de boot.

Essa é a primeira e única BIOS autorreparável do mundo. Além disso, o HP Sure Start protege contra ataques LoJax e outros ataques BIOS/UEFI sofisticados.

5. Preze por sua privacidade

Muitas pessoas colam adesivos em suas webcams com medo de estarem sendo observadas. Por isso, ter um computador com câmera de privacidade também dá um alívio para os usuários. Esse tipo de tecnologia informa, por sinal luminoso, quando o dispositivo está ativo e captando imagens.

Outro componente importante pensando na privacidade são as superfícies antirreflexo das telas, garantindo a visibilidade do conteúdo apenas para quem está em frente ao equipamento.

Muitos usuários colocam películas adesivas para adquirirem essa funcionalidade e, pensando nisso, a HP criou a tecnologia Sure View, que já entrega as telas com esse benefício.

6. Compre produtos seguros

Optar por comprar equipamentos confiáveis também é essencial, por isso, sempre decida por marcas preocupadas com a segurança de seus usuários, que elaboram ferramentas nativas mais eficientes.

Além das tecnologias já citadas, a HP também oferece em seus computadores o HP Sure Click, que garante um ambiente seguro intermediário para qualquer arquivo acessado no seu computador por meio de um navegador de internet, impedindo que softwares maliciosos entrem no ambiente do usuário.

A marca também oferece o HP Sure Run, um mecanismo interno que age em conjunto com o sistema operacional para garantir que nenhum software malicioso esteja agindo de maneira desavisada no sistema, por rotinas de verificação que funcionam de forma independente do Windows.

Por fim, as séries 600800 e 1000 da HP também contam com o Sure Sense, uma rotina interna no sistema operacional que, através de algoritmos de aprendizado de máquina, se atualiza constantemente para combater ameaças, entendendo o perfil do usuário e os métodos das principais ameaças.

Mesmo que pareçam muitas informações e passos, contar com um produto e com ferramentas que por si só já trazem uma maior sensação de conforto e segurança ao usuário é fundamental. Afinal, a tecnologia é nossa aliada não só para trabalho e diversão, mas também para nos dar segurança.

Fonte:TecMundo

Poradmin

LGPD: qual a diferença entre dados pessoais, sensíveis e anonimizados?

Desde o ano passado, passou a valer a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) – Lei nº 13.709 – que visa proteger a privacidade do cidadão de forma física ou digital, evitando o vazamento e compartilhamento de informações entre empresas e órgãos públicos – os quais vêm se adaptando às novas regras, já que o não cumprimento pode acarretar multas pesadas.

No entanto, muita gente tem dúvidas a respeito do descrito na lei, que menciona ao menos três tipos de dados: os pessoais, os sensíveis e os anonimizados.

Podemos, ainda, considerar cinco tipos, se acrescentados os “identificáveis”, que também estão nas explicações descritas no artigo 5°, inciso III; e os “pseudonimizados”, explícitos no artigo 13, parágrafo 4º.

Para facilitar a compreensão dessas especificidades, vamos explicar o que cada dado significa, para que você tire suas dúvidas e saiba quando e se é cabível recorrer à Justiça para a aplicação da lei.

Primeiramente, é importante ressaltar que os dados são separados em dois grupos; “estruturados” e “não estruturados”.

O primeiro trata de todo dado organizado, que segue um padrão e é facilmente processado, como por exemplo nomes e endereços.

Já os não estruturados são os dados que não possuem formatação, padrões ou sequências, sendo composto por elementos diferentes. Nesta categoria estão as mensagens de e-mail, posts em redes sociais, imagens, áudios e etc.

O que é considerado um dado pessoal?

De acordo com a lei, o dado pessoal é “toda informação relacionada a pessoa natural identificada ou identificável”, ou seja, são as informações básicas de um determinado individuo: nome, sobrenome, endereço de residência, RG, CPF, data de nascimento, e-mail, telefone, nacionalidade, hábitos de consumo, interesses – inclusive as informações que constam nas redes sociais, como as páginas que curtiu ou seguiu.

O que é um dado sensível?

O dado sensível é o “dado pessoal sobre origem racial ou étnica, convicção religiosa, opinião política, filiação a sindicato ou à organização de caráter religioso, filosófico ou político, dado referente à saúde ou à vida sexual, dado genético ou biométrico, quando vinculado a uma pessoa natural.”

Nesse caso, esse tipo de dado é relacionado à informações mais íntimas de um indivíduo. Essa característica acrescenta ainda maior cautela no manejo desse dado por instituições, porque seu uso só pode ser feito com autorização do titular e atendendo às regras legais – já que esse tipo de informação pode ser usada de forma discriminatória.

O que é um dado anonimizado?

É o “dado relativo ao titular que não possa ser identificado, considerando a utilização de meios técnicos razoáveis e disponíveis na ocasião de seu tratamento.”

Basicamente, são aqueles dados que, sozinhos, não possuem capacidade de identificar alguém devido o uso de técnicas que impedem a relação do dado com o cidadão.

Por exemplo: quando usamos em um texto “o salário de uma empresa do setor X pode variar entre R$ 20 mil e R$ 50 mil por mês”, deixamos de forma anônima o nome da empresa, não tornando possível saber quem é essa empresa ou até mesmo encontrar mais informações que identifiquem quais funcionários dela recebem o valor mais alto.

Esse tipo de dado é muito utilizado na realização de estudos e não está sujeito à aplicação da LGPD, no entanto, caso a empresa seja identificada, o dado recebe um novo nome e passa a ser um dado pseudonimizado.

Dados identificáveis e pseudonimizados

Os dados identificáveis são aqueles que, sozinhos, não conseguem identificar o titular, mas somados a outras informações torna a ação possível.

Isso significa dizer que a soma de dados identificáveis, como por exemplo, o número do seu cartão de crédito (que você adicionou em uma loja on-line), seu CPF (usado, às vezes, em notas fiscais), o nome da empresa para a qual você trabalha (que você adicionou na hora de um cadastro), entre outros, se juntos, podem identificar você. Assim sendo, com a nova lei, também estão sob sua proteção.

Por sua vez, segundo o descrito em lei, a pseudonimização é “o tratamento por meio do qual um dado perde a possibilidade de associação, direta ou indireta, a um indivíduo, senão pelo uso de informação adicional mantida separadamente pelo controlador em ambiente controlado e seguro.”

De acordo o site Migalhas, especializado em direito, os dados pseudonimizados, por sua vez, oferecem a possibilidade de reverter um dado anonimizado para um dado que possui informações mascaradas (ou escondidas).

Dessa forma, essa informação pode ser acessada pelo seu controlador, passando a ser assim um dado sujeito às aplicações da LGPD.

Tanto a anonimização quanto a pseudonimização são técnicas de mascaramento de dados, no entanto, a diferença é que um pode ter seu processo de reversão possível, oferecendo ao controlador informações adicionais na hora do tratamento de dados.

A anonimização, em geral, é usada para casos em que o controlador não precisa realizar o tratamento de dados, usando-os de forma genérica.

No caso de vazamentos, por exemplo, o controlador não é obrigado a acionar a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), ou os titulares para dados anonimizados, já que eles não são considerados dados pessoais.

A pseudonimização é aplicada quando o controlador precisa de mais informações de um individuo, para uma pesquisa por exemplo. Assim, o dado passa a ser mais completo, mas com maior segurança, já que irá mascarar detalhes que não são relevantes para outros operadores que acessem o mesmo dado – apenas para o seu controlador, de fato.

Fonte:OlharDigital

Poradmin

LGPD: multas podem ser aplicadas e chegam até R$ 50 milhões

Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) foi aprovada em 2018 e entrou em vigor em setembro de 2020. Contudo, somente a partir do agosto de 2021, a legislação permite a aplicação de multas e outras sanções contra as empresas e órgãos públicos que descumprirem a legislação.

Pela lei, o cidadão precisa autorizar o compartilhamento de seus dados pessoais coletados e registrados pelos sistemas das instituições, bem como ter conhecimento de como essas informações são utilizadas. Além disso, as organizações devem adotar medidas de segurança para evitar a violação de dados.

Caso não haja um tratamento adequado das informações, a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) pode aplicar advertências e multas iguais a até 2% do faturamento, limitadas a R$ 50 milhões.

Empresas não estão preparadas

A maioria das empresas ainda precisam se adaptar à nova legislação de dados. (Fonte: RD Station/Reprodução)

Uma pesquisa feita com 997 empresas pela companhia de tecnologia RD Station apontou que 93% dos entrevistados dizem conhecer ou, pelo menos, já ter ouvido falar sobre a LGPD, enquanto 68% já conhecem ou estão se informando sobre as punições. Entretanto, apenas 15% das empresas dizem estar prontas ou na reta final de preparação para a entrada em vigor das sanções.

Quando considerado somente as pequenas e médias empresas, o cenário é ainda mais preocupante. Uma outra pesquisa, realizada em outubro de 2020 pela companhia de soluções de segurança da BluePex com 1.000 PMEs, apenas 4% se consideram preparadas para a nova legislação de dados.

Início das sanções

Por enquanto, serão aplicadas apenas medidas educativas contra infratores da LGPD. (Fonte: Secretaria-Geral da Presidência da República/Reprodução)

A ANPD afirma que, por enquanto, não serão aplicadas multas e sanções administrativas contra as empresas e órgãos públicos que descumprirem a LGPD e as advertências terão caráter educativo. Isso porque o órgão ainda deve publicar normas específicas com as regras das punições.

Até junho, o Regulamento de Fiscalização e Aplicação de Sanções Administrativas, previsto em lei, passou por consulta pública e encontra-se em fase de ajustes finais antes da publicação. A minuta do documento estabelece regras para sanções administrativas, metodologias que orientarão o cálculo do valor-base de multas, observando os critérios previstos na LGPD.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Vulnerabilidade deixa senhas de administradores expostas nos Windows 10 e 11

Uma vulnerabilidade nos sistemas operacionais Windows 10 e Windows 11 está deixando as senhas de administrador expostas para usuários locais. Isso pode permitir que os outros perfis possam escalar suas permissões e conseguir privilégios de administradores. Na prática, isso dá acesso total ao sistema para todos os usuários de um mesmo computador.

De acordo com um usuário do Twitter identificado como Jonas Lyk, os dados do Gerenciador de Contas de Segurança do Windows (SAM) podem ser acessados por usuários com privilégios bastante limitados. Ao que parece, a Microsoft percebeu e reconheceu a vulnerabilidade, e publicou um resumo executivo em sua página de Vulnerabilidades de Segurança.

Segundo a Microsoft, essa nova vulnerabilidade é resultado da proteção inadequada das listas de controle de acesso em vários arquivos do sistema, que incluem o banco de dados SAM. A empresa observa ainda que uma pessoa não autorizada poderia usar a falha para executar um código personalizado para adicionar, alterar ou excluir dados de usuário.

A Microsoft conclui o documento observando que os usuários não autorizados precisam ter capacidade técnica para executar códigos, nos sistemas Windows 10 e 11, para poderem efetivamente tirar proveito da vulnerabilidade. Em breve, a Microsoft deve dar novas atualizações sobre a falha, mas ainda não há uma data para uma atualização que corrija a falha.

Falha localizada

Outros usuários do Twitter observaram que a falha existe apenas para sistemas que executam a build 1809 do Windows 10 e algumas versões do Windows 11. Esses outros usuários também observaram que, além de permitir o acesso aos dados do SAM, a vulnerabilidade também permite o acesso a determinados arquivos de sistema e de segurança.

Para que seja possível tirar proveito da vulnerabilidade, é necessário que o sistema tenha uma cópia do VSS da unidade do sistema. Esta cópia pode existir em decorrência de ações inadvertidas, como a instalação de um disco rígido de mais de 128GB seguida de uma atualização do Windows. Outra possibilidade é a adição de um formato de arquivo do pacote de instalação chamado MSI.

Fonte:OlharDigital

Poradmin

Apple admite erro para desbloquear o Apple Watch após atualização do iOS 14.7

A Apple afirmou em nota divulgada nesta terça-feira (20) que existe um bug – um erro – na versão iOS 14.7 que não permite o desbloqueio do relógio Apple Watch através do iPhone. Segundo a empresa, “um problema afeta a capacidade dos modelos de iPhone com Touch ID” de acessar o dispositivo, entretanto, a correção só virá na próxima atualização do software.

Para quem está enfrentando o problema, a gigante em tecnologia publicou uma solução alternativa, enquanto o reparo não vem.

“Se você tiver esse problema, basta digitar a senha diretamente no seu Apple Watch para desbloqueá-lo. Isso é necessário apenas uma vez, desde que você mantenha o Apple Watch no pulso. Se você esqueceu sua senha, é necessário redefinir o Apple Watch”, explicou a empresa em comunicado.

As pessoas que usam o relógio tecnológico da Apple conseguem conectar o dispositivo ao celular e, assim, ter as mesmas funções disponíveis. Quando o desbloqueio do iPhone está ativado e conectado com o Apple Watch, você possui duas formas de desbloquear o relógio: desbloqueando o celular ou digitando a senha numérica. Como medida de segurança, se o aparelho for removido do pulso, ele também é bloqueado.

Para usuários corporativos, no entanto, o bug pode dar um pouco mais de dor de cabeça, já que iPhones com um perfil Mobile Device Management (MDM) conectados ao Apple Watch exigem senhas alfanuméricas, ou seja, com letras, números e símbolos especiais – o que não é possível digitar pelo relógio -, descartando a primeira opção sugerida pela empresa.

Entretanto, a Apple também orientou o que fazer neste caso:

  • Peça ao administrador do MDM para remover o requisito de senha alfanumérica do seu iPhone;
  • Desemparelhe e apague seu Apple Watch;
  • Configure seu Apple Watch novamente.

Ainda segundo a companhia, “os administradores de MDM também podem adiar a atualização de iPhones supervisionados com Touch ID”, driblando o bug até o lançamento da próxima atualização, que soluciona esse problema.

A Apple lançou o iOS 14.7 na segunda-feira (19) e entre os principais destaques do novo sistema operacional estão a compatibilidade com as novas baterias MagSafe, anunciadas na semana passada, e a capacidade de combinar contas do Apple Card.

Fonte:OlharDigital

Poradmin

Google Fotos permitirá que usuários peçam imagens aos amigos

Google Fotos deve ganhar um novo recurso que permitirá pedir fotos aos amigos. A funcionalidade, que ainda está em desenvolvimento, será uma forma simples de reunir as memórias de eventos especiais ou familiares.

A informação foi revelada pela especialista em aplicativos Jane Machun Wong nesta quarta-feira (14). Por meio do Twitter, a popular leaker mostrou duas imagens da nova ferramenta de compartilhamento.

As capturas de tela apresentam um banner no topo do app da Google com a mensagem “Pedir Fotos aos Amigos”. Em seguida, o usuário é direcionado para uma tela com link personalizado que deve ser encaminhado para colegas e familiares.

Simplificando o compartilhamento

Aparentemente, o “destinatário” que receber o link deve usar a versão mobile do Google Fotos para enviar grandes quantidades de imagens ao “remetente”. Lembrando que o app está disponível para Android e iOS.

Sem dúvidas, a nova ferramenta será bem útil quando for necessário pedir fotos antigas para amigos e membros da família. Tal como, essa é uma maneira simples e criativa de montar um álbum compartilhado com imagens de um evento.

Por ainda estar em desenvolvimento, não há previsão da chegada do recurso ao Google Fotos. Entretanto, é possível que isso aconteça em breve.

Mais novidades do Google Fotos

Nos últimos meses, o Google Fotos recebeu vários recursos novos. O app ganhou uma busca de imagens mais intuitiva, novo editor de vídeos, suporte a Pasta Segura com senha e a possibilidade de salvar arquivos diretamente do Gmail.

Lembrando que a plataforma encerrou o backup ilimitado para todos os usuários no início de junho deste ano. Contudo, algumas pessoas ainda podem usar o armazenamento sem limitações.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Windows 11 corrige problema de organização com múltiplos monitores

Usuários que instalaram a build vazada do Windows 11 relataram que a experiência de uso com dois ou mais monitores foi aprimorada. As correções feitas pela Microsoft impedem que as janelas e programas abertos sejam desorganizadas em telas secundárias, apontam os relatos.

Atualmente no Windows 10, quando o sistema entra em modo de suspensão para poupar energia, as janelas abertas tendem a ficar desorganizadas ou em locais diferentes quando o computador é despertado. Esse ponto específico teria sido corrigido pela companhia.

Na nova versão, um recurso permite que o Windows 11 “se lembre” dos locais onde as janelas já estavam abertas antes de entrar em modo de suspensão. O que pode parecer ser uma melhoria pequena, na verdade conserta algo que frustra usuários que utilizam múltiplas telas ao mesmo tempo.

Windows 11 ajustes

Nos novos controles de vídeo, há também uma outra mecânica. Quando o usuário desliga um monitor secundário, as janelas abertas nele são apenas minimizadas, e não realocadas no monitor primário. Essas duas funções devem ser opcionais, entretanto.

Versão ainda não oficial

O Windows 11 tem data de apresentação marcada para a próxima quinta-feira (24). Com a build vazada, os novos recursos vêm sendo explorados e revelados por usuários do sistema operacional.

No entanto, vale o aviso de que esta não é uma distribuição oficial da Microsoft. Entre outros, usuários mal-intencionados podem propagar versões com malware para download para enganar usuários mais apressados. A recomendação é esperar até que a própria Microsoft divulgue todos os detalhes da nova versão.

Fonte:TecMundo