Arquivo de tag Microsoft

Poradmin

Windows 10: atualização corrige bug que desfragmentava SSD a cada boot

Microsoft corrigiu um bug que afetou uma função bastante específica do Windows 10: uma ferramenta de otimização de drives que realizava a desfragmentação de unidades SSD com uma frequência não recomendada.

A correção foi enviada a partir da nova versão KB4571756 (também conhecida como build 19041.508) do sistema operacional, que começou a ser enviada para os usuários em 3 de setembro.

Em resumo, o sistema de otimização de armazenamento do Windows 10 não estava identificando a data da última operação de desfragmentação e, por isso, reiniciava a tarefa quase toda vez que o dispositivo era religado — o que pode ser uma ou até várias vezes ao dia dependendo dos seus hábitos de uso. 

Fazer essa operação com tanta frequência não é recomendado e pode prejudicar a vida útil do componente. Normalmente, o processo de otimização automática ocorre uma vez ao mês. 

Segundo o Windows Latest, o problema foi identificado pela primeira vez em janeiro de 2020 por usuários do Windows Insiders e já tinha passado por uma correção, que não se mostrou totalmente eficiente. Você pode conferir os detalhes da atualização no site de suporte da Microsoft.

Poradmin

Microsoft Word receberá ferramenta de gravação e transcrição de áudio

Em breve, a Microsoft introduzirá uma ferramenta para gravação e transcrições de diálogos no Word. Exclusivo da versão web do editor de texto, o recurso oferece uma solução prática — e limitada — para redigir entrevistas, conversas e vídeos, e logo chegará ao Android iOS.

A ferramenta permitirá que o assinante do Microsoft 365 grave e suba arquivos de áudio para a nuvem e fazer a transcrição das falas sem qualquer custo adicional. O recurso é inédito no pacote de produtos Microsoft, mas alternativas de concorrentes se mostram superiores e mais refinadas que a presente no Word.

Em demonstração, a Microsoft exibiu o software transcrevendo um áudio que estava sendo reproduzido nos alto-falantes do notebook, detectando-os pelo microfone integrado da máquina. As falas são expostas numa coluna à direita da tela, sendo separadas em intervalos e atribuindo a identidade aos autores por meio de reconhecimento de voz.

A futura adição permitirá que os usuários gravem áudios ilimitados e enviem para o navegador, mas arquivos enviados à nuvem são limitados a cinco horas por mês e devem ser menores que 200 MB. Haverá suporte para arquivos em MP3, WAV, MP4 e M4A, garantindo “altíssima fidelidade”, considerando que a tecnologia Azure Cognitive Services reforçarão a ferramenta.

O destaque? Praticidade

Alternativas como as ferramentas de transcrição da Google para Android, o app Otter.ai e o Google Docs oferecem soluções mais elaboradas e otimizadas. Na maioria dos exemplos, as ferramentas oferecem suporte para maior variedade de arquivos de áudio e vídeo, e estão presente em mais plataformas.

Para a Microsoft, onde sua ferramenta de transcrição se destaca é na praticidade. A Microsoft quer “reduzir o tempo gasto para criar o melhor trabalho possível e focar no que realmente importa”, segundo o gerente do projeto Dan Parish.

Ainda não há data definida para o lançamento do recurso; mas deve ser disponibilizado em breve na versão web. Apps do Android e iOS receberão a atualização no final deste ano e não há previsão para chegada no Word para desktop ou Mac.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Microsoft corrige 120 brechas de segurança no Windows 10 em update

Microsoft corrigiu 120 bugs em uma atualização para o Windows 10 liberada na última terça-feira (11). Dentre as correções, duas eram vulnerabilidades conhecidas como zero-day, sendo falhas existentes desde o lançamento do sistema operacional.

Publicadas em lista oficial, as correções foram aplicadas em 13 softwares, como Windows, Microsoft EdgeMicrosoft Office e Internet Explorer. A atualização não adiciona novidades ao sistema, restringindo-se a ajustar as falhas conhecidas.

Das 120 vulnerabilidades solucionadas, 17 foram categorizadas como graves no ranqueamento da Microsoft, o Common Vulnerability Scoring System (CVSS).

Uma das ocorrências zero-day dentro do Windows poderia ser usada para “ultrapassar recursos de segurança e carregar arquivos com assinaturas indevidas”. Sendo assim, a correção soluciona o erro na leitura de assinaturas de softwares para evitar que esses arquivos sejam carregados e ponham o computador em risco.

A segunda brecha do tipo foi encontrada por profissionais de segurança da Kaspersky e retrabalhou o scripting engine do antigo navegador. Caracterizada como crítica, a vulnerabilidade “podia corromper a memória de forma que o atacante pudesse executar códigos maliciosos na máquina do usuário”, segundo a denúncia. Esse erro poderia ser especialmente perigoso se o hacker procurasse o acesso pelos privilégios de administrador, pois, assim que garantido, poderia instalar softwares, criar, apagar e editar documentos ou criar usuários com poderes mais amplos na máquina.

Devido à seriedade dos problemas solucionados, a empresa solicita que todos os usuários instalem a atualização o mais rápido possível. Mais informações sobre as 120 correções podem ser encontradas no site oficial da Microsoft.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Windows 10 pede para usuários não instalarem o CCleaner

Windows Defender, antivírus nativo do Windows 10, está apontando o CCleaner como “software potencialmente indesejado”. O app de limpeza e manutenção do computador é uma ferramenta extremamente popular, mas foi caracterizada como indesejada pela proteção do sistema da Microsoft.

Esse bloqueio não é alarmante: o Microsoft Defender — como foi renomeado após a atualização 2004 — notifica os usuários sobre a presença de programas indesejados mesmo se não encontrar indícios de atividade maliciosa. Entretanto, o aviso informa que o programa pode ser resultado de alguma instalação indesejada.

Segundo a Microsoft, “alguns instaladores gratuitos e distribuições promocionais podem vir acompanhadas com outros apps, incluindo aplicativos que não são exigidos pelo CCleaner ou produzidos pela Piriform”. Portanto, o CCleaner foi configurado como um desses elementos indesejados.

“Apesar das aplicações extras serem legítimas, […], especialmente produtos de outros provedores, eles podem ocasionar em experiências negativas para o usuário.”, completou em comunicado ao site Bleeping Computer.

Instaladores automáticos são o problema

No mesmo diálogo, a Microsoft descreveu que o problema está na facilidade que esses programas são instalados em conjunto com o software esperado. Softwares como o Google Chrome, Google Toobar, Avast Free (e outros apps que adotam o método), passam facilmente pelo processo de instalação.

Para a Microsoft, “alguns usuários podem facilmente instalar o pacote de apps sem notar”. Portanto, mesmo se há a opção de negar o download em pacote, ela não é bem exibida no instalador.

Posteriormente, um porta-voz do CCleaner afirmou que “já estão em contato com a Microsoft para entender o porquê do CCleaner se tornar um ‘software potencialmente indesejado’”. No mesmo comunicado, o porta-voz afirmou que a Microsoft atualizou o Microsoft Defender.

Sendo assim, se você já estiver com a versão mais recente do antivírus e for usuário do CCleaner, a notificação do Microsoft Defender não deve aparecer. Caso contrário, esteja ciente que o app de otimização não representa risco para o computador.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Novo erro trava Windows 10 se você abre e fecha notebook várias vezes

Microsoft identificou um novo erro no Windows 10, desta vez causado por um componente de gerenciamento de memória do sistema operacional.

A falha é um erro no sistema que causa o travamento do Desktop Windows Manager (DWM), um gerenciador de janelas da Área de Trabalho que ajuda na renderização de elementos visuais e de animação na tela especialmente em monitores de altas resoluções.

De acordo com a Microsoft, o erro vai desde bugs visuais nos ícones da Área de Trabalho e falhas nos efeitos 3D até uma tela escura que obriga você a reiniciar o aparelho manualmente.

Não é tão simples

Segundo o site Bleeping Computers, dispositivos de todas as versões do Windows 10 com telas 4K são os aparelhos afetados. Entretanto, boa parte da comunidade pode ficar tranquila, pois o erro é relativamente difícil de ser replicado por usuários.

Ele aparece sob condições bem específicas, como se você abre e fecha repetidamente a tampa de um notebook enquanto vê um vídeo com o computador conectado a um monitor de alta definição. Nesse caso, o sistema deve estar configurado para que a imagem não suma da tela se você faz o movimento no aparelho. Na outra situação, o usuário deve conectar e remover o cabo do monitor de uma estação com conectividade Thunderbolt 3 sob determinadas configurações.

A empresa já está trabalhando em uma atualização que resolva a falha, que está localizada no gerenciador de memória de vídeo do DirectX. Por enquanto, não há previsão de chegada para essa correção.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Windows 10: Menu Iniciar pode mudar de novo e ficar mais arredondado

Um dos mais tradicionais elementos do sistema operacional da Microsoft, o Menu Iniciar pode passar por mais uma reformulação gráfica em breve no Windows 10.

Segundo o site Windows Latest, a barra de atalhos, documentos e programas deve ganhar em breve uma alteração no visual que é bastante leve, porém indica uma possível direção das interfaces da empresa para o futuro. Quem entregou a novidade foi uma captura de tela oficial que ilustrava uma das explicações no portal Dicas da Microsoft.

A imagem mostra que o Menu Iniciar não mudará radicalmente depois da reformulação que começou a ser distribuída em julho deste ano. Porém, a barra de pesquisa, o Menu de Contexto (quando você clica com o botão direito em um ícone e a própria caixa em que um aplicativo se encontra quando você posiciona o mouse sobre ele estão arredondados.

Atualmente, essas bordas são todas retas, em um esquema de retângulos que é seguido desde o início da vida da interface Metro, apresentada junto com o Windows 8, em 2012.

A imagem pode ter sido exibida por acidente e, possivelmente, a função ainda está em fase de desenvolvimento pela equipe da Microsoft.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Atualização do Windows 10 some com Paint, Wordpad e Bloco de Notas

grande update de maio (2004) para Windows 10 aparentemente removeu os clássicos Bloco de Notas, Paint e Wordpad dos PCs de alguns usuários. Fóruns de suporte da Microsoft estão recebendo relatos e reclamações sobre a ausência dos apps nativos presentes há décadas no sistema operacional da Microsoft.

Curiosamente, a ausência desses aplicativos não parece ser um problema, mas uma decisão da companhia. O trio pode ser reinstalado dentro de um dos menus do app de Configurações, onde será baixado e reinserindo na máquina manualmente. Evidência esta que indica que a companhia pretende remover os programas em algum momento.

Para programadores e até gamers de PC, o Bloco de Notas exerce uma função crucial: ser um software de edição de texto limpo e de fácil acesso. Nele podem ser feitos pequenos ajustes em códigos, assim como modificar arquivos para realizar pequenos ajustes em games.

Os demais — Wordpad e Paint — foram ferramentas muito populares no passado, mas foram perdendo relevância para programas mais eficientes. Ainda assim, se sua ausência foi denunciada, os apps devem ter certa importância para uma parcela de usuários.

Para tê-los de volta no computador, você precisa entrar em Configurações > Aplicativos > Recursos opcionais. Essa aba permite que você busque pelo app que estiver faltando e instalá-lo.

Se essa solução não parece apropriada — ou tema mais problemas na versão 2004 do Windows 10 — também é possível restaurar o sistema operacional para a versão 1903, esta com todos os programas conhecidos e sem os problemas encontrados recentemente. Neste caso, vá em Configurações > Atualização e Segurança > Recuperação para começar o processo.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Microsoft pode remover o “Painel de Controle” do Windows 10

Na mais recente build de testes do Windows 10 (20161), a Microsoft substituiu as “Propriedades do Sistema” – seção acessada via “Painel de Controle” – por um atalho que leva o usuário ao aplicativo “Configurações”, que foi introduzido no Windows 8.

Atualmente, o usuário pode entrar nas Propriedades do Sistema clicando com o botão direito em uma área em branco da janela “Este Computador”, e depois clicando em Propriedades, ou simplesmente clicando no ícone Sistema, no Painel de Controle.

O recurso é extremamente útil para os usuários do Windows, pois há décadas é utilizado para a visualização de informações básicas sobre o hardware (tipo de processador, quantidade de memória instalada, etc.) e sobre a versão do Windows, assim como seu status de ativação. A janela também possui atalhos rápidos para outras configurações do computador, à direita e à esquerda.

Remoção do Painel de Controle?

No Windows 10 build 20161, se o usuário clicar no ícone Sistema, do Painel de Controle, é redirecionado à seção Sistema do app Configurações.

A Microsoft ainda não se pronunciou a respeito, mas essa modificação, talvez, represente uma futura remoção completa do Painel de Controle do Windows 10, que é um recurso existente desde o Windows 9x. A companhia pode estar preparando a migração de um app para o outro, aos poucos, seção por seção.

Essa alteração poderia deixar o Windows mais leve, tanto no consumo de recursos quanto no tamanho da ISO de instalação. No entanto, ela pode afetar drasticamente a forma como os usuários interagem com o sistema. E o fato é que o app de Configurações não parece ser muito popular, mesmo depois de tantos anos de lançado.

Se a Microsoft pretende tornar o app Configurações o único recurso de ajustes do PC, talvez seja necessário remodelá-lo completamente, antes da remoção das seções do Painel de Controle, que poderia gerar revolta por parte dos usuários do Windows 10.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Falha no Office está sendo explorada para infectar computadores

Hackers estão explorando uma vulnerabilidade antiga do Microsoft Office, que já foi corrigida, para espalhar malwares entre os computadores não atualizados, de acordo com relatório divulgado na última terça-feira (30) pela empresa de segurança Menlo Labs.

Segundo a companhia, a falha em questão é a conhecida como CVE-2017-11882, que atinge o editor de equações do Office, ferramenta usada em fórmulas matemáticas. O bug afetou as versões Office 2007 SP3, Office 2010 SP2, Office 2013 SP1 e Office 2016, mas foi corrigido há quase três anos.

Apesar disso, a Menlo Labs afirma ter detectado pelo menos três campanhas de ataques explorando a falha, realizadas recentemente. Elas atingiram empresas dos setores de entretenimento, imobiliário e bancário, na América do Norte e em Hong Kong. No primeiro ataque, os criminosos usaram um documento RTF para redirecionar as máquinas a sites falsos, onde elas baixaram o trojan RAT.

á na segunda e na terceira campanhas, foi usada uma planilha do Excel para infectar os computadores vulneráveis com o RAT Agent Tesla e o RAT H-Worm, respectivamente. Este tipo de código malicioso possibilita acessar os PCs infectados remotamente, para monitorar os usuários, baixar e instalar arquivos, roubar informações pessoais, minerar criptomoedas e outras atividades.

Atualização elimina riscos

Conforme o diretor de Pesquisa de Segurança da Menlo Labs Vinay Pidathla, o fato de ainda acontecer a exploração da falha CVE-2017-11882 demonstra que muitas empresas estão utilizando o pacote de aplicativos da Microsoft desatualizado.

Para ele, a instalação dos patches de segurança disponibilizados pela fabricante, bem como a atualização do sistema operacional, são essenciais para evitar os ataques. Pidathla cita ainda a importância de ter profissionais especializados em segurança cibernética nas empresas para monitorar situações como esta, diminuindo os riscos.

Quem utiliza as versões do Office afetadas pela falha e ainda não atualizou o programa pode encontrar os arquivos de correção da vulnerabilidade no site da Microsoft.

Fonte:TecMundo

Poradmin

Novo menu Iniciar do Windows 10 começa a ser liberado hoje

No mês passado, a Microsoft revelou o design do novo menu Iniciar, que trará mudanças a fim de se integrar de forma mais harmônica com o tema escolhido para o sistema operacional. Agora, o novo Iniciar começou a ser liberado para testadores, nas versões do canal de desenvolvedores (previamente conhecido como “fast ring” – círculo rápido).

É interessante notar que a aplicação não virá por padrão na última build do Windows 10 lançado pela Microsoft, mas será liberado aos poucos para os testadores. Se você for um deles e não receber o novo Iniciar de imediato, terá que aguardar.

Mudanças sutis

Com o Windows 2004 (atualização de maio de 2020), a Microsoft aproveitou para lançar novos ícones para aplicativos do sistema e de terceiros.

O novo Iniciar, por enquanto, traz mudanças na parte visual, que visam uma melhor integração do menu com o tema aplicado ao SO. Isso pode ser percebido por meio do fundo dos ícones, tanto nos blocos dinâmicos quanto nos ícones da lista de apps. No primeiro caso, o fundo fica translúcido, se adequando ao tema (claro ou escuro); já no segundo caso, não há mais fundo por trás dos ícones dos apps que ficam na lista. Os ícones ficam diretamente sobre a cor do menu.

A Microsoft disse que essa será a configuração padrão, mas ela pode ser alterada de acordo com a vontade do usuário. Sendo assim, outras cores de fundo poderão ser aplicadas.

Alt + Tab renovado

Outra mudança introduzida no Windows build 20161, será em relação ao recurso Alt + Tab, que mostra as janelas dos apps utilizados e oferece a possibilidade de alternar entre elas.

A atualização do recurso fará com que cada aba do Edge apareça como uma janela. Dessa forma, além de alternar entre apps, o usuário poderá trocar de aba no navegador do Windows 10. Essa função poderá ser configurada para limitar a quantidade de abas que o usuário gostaria de ver no Alt + Tab, ou mesmo desabilitada.

Fonte:TecMundo